quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Apresentação da Turma P, 4º ano

Olá a todos!
Esta é a nossa escola, a EB1 de Serrado.
Fica localizada em Buarcos.

Somos a turma P do 4ºano e o projecto que iremos desenvolver “A menina do Mar, Ecossistemas Marinhos” dará grande relevância ao domínio da leitura e da escrita, pela sua importância na formação pessoal e social de todos nós, possibilitando-nos o prazer de falar, ler e escrever a Língua Materna.
Iremos também aprofundar os conhecimentos sobre a vida no mar e o ecossistema da praia rochosa do Cabo Mondego. Cada um de nós desempenhará um papel activo na construção do saber.
As leituras, as visitas de campo e as recolhas fazem parte da aprendizagem, divertimento, passatempo, criatividade na escrita, aquisição de valores e enriquecimento do “SABER FAZENDO”.
Este tema será desenvolvido em articulação com a Língua Portuguesa, PNL e os Projectos de Escola “Palavra a Palavra se Tece uma História” e “(In)formar para Crescer”, o Programa Nacional e as Competências definidas para o 4º ano de escolaridade.
Agora…só falta pôr as “mãos na massa”.
4ºano Turma P (professora Ondina Paiva)

Apresentação da Turma N, 3º ano

Nós somos vinte alunos do 3º ano. As meninas são sete e os rapazes são treze.
A nossa professora chama-se Conceição e está connosco desde o nosso 1º ano.

Nós gostamos de participar em projectos novos e gostamos da Natureza.

Andamos numa escola muito bonita que é a Escola do Serrado. Tem sete salas de aula e é frequentada por cerca de cento e cinquenta alunos.
Fica situada na vila de Buarcos, a cem metros da praia.
A nossa praia é uma baía que na sua ponta norte tem rochedos à vista durante a maré vazia.

3º ano da Prof. Conceição

Participantes 2010 - 2011



Olá amigos!

Depois de todas as emoções vividas no ano anterior, cá estamos de novo a participar neste projecto sobre a nossa querida praia rochosa.

Este ano, a EB1 do Serrado "embarca" com duas turmas: o 3º ano da Prof. Conceição e o 4º ano da Prof. Ondina.
Seguem-se as respectivas apresentações.

Desejamos a todos

Boas Ondas!

terça-feira, 1 de junho de 2010

O prémio

Hoje, Dia Mundial da Criança, recebemos o prémio que nos foi atribuído pela Ciência Viva no dia 22 de Maio, Dia Internacional da Biodiversidade.
Como não nos foi possível ir ao Pavilhão do Conhecimento nesse dia, enviámos pela Internet uma gravação com nosso testemunho que foi apresentada durante a cerimónia de entrega de prémios:
video
Hoje chegou pelo correio o nosso diploma, cinco livros de ciência para a nossa biblioteca, um DVD sobre a vida nos oceanos e uma caneta especial para cada um de nós.
Nós ficámos muito felizes e a nossa professora Andreia, que também nos apoiou neste projecto, estava toda orgulhosa do nosso trabalho.

Muito obrigada aos cientistas que nos ajudaram e ao Exploratório de Coimbra que orientou a nossa visita à praia rochosa.

Parabéns a todos os colegas que participaram connosco neste projecto!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Visita à praia rochosa

No dia 26 de Maio, a nossa turma foi à praia rochosa de Buarcos durante a maré vazia, ver os seres vivos que habitam as poças de maré.
Chegados à praia, foi-nos entregue um guião para preenchermos no decorrer da visita. Depois, em grupos, fomos as rochas observar e fotografar as poças.
Pareciam pequenos aquários, de água muito límpida, onde vimos: anémonas, vários tipos de algas, burriés, ouriços do mar, lapas, lesmas do mar, peixes, caranguejos e mexilhões.
Após esta actividade, recolhemos restos de animais e algas, para posteriormente os observarmos, classificarmos e organizarmos um pequeno museu dentro da nossa sala de aula.
Trabalhámos muito, mas valeu a pena.
Com esta visita aprendemos a olhar com mais atenção o maravilhoso mundo natural que nos rodeia, a dar-lhe valor e a importância de o proteger para que nunca desapareça.

Aqui ficam as imagens da nossa manhã na praia de Buarcos e do trabalho, à tarde na sala de aula:


Afinal ainda há tesouros na Praia de Buarcos!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Visita de Estudo à Estação do Litoral da Aguda

No dia 20 de Março, a nossa turma fez uma visita de estudo à Estação do litoral da Aguda (ELA).
Ao chegarmos, presentearam-nos com um Conto do Mar, onde aprendemos a não poluir o mar e a reciclar. Nos quinze aquários que observámos atentamente, identificámos seres vivos que nos eram familiares, como por exemplo: estrela-do-mar, polvo, santola, azevia, robalo, mexilhão, faneca, dourada, camarão, lavagante, ouriço-do-mar, raia e linguado.
Continuámos a visita no Museu das Pescas, o qual contém mais de dois mil objectos de pesca artesanal do mundo, como: anzol, agulha, lança, arpão, odre, covo, espelho, fisga, gancho, nassa, entre muitos outros.
Alguns destes objectos já não eram novidade para nós, visto que quase todos temos algum familiar ligado à pesca.
Com esta visita realizámos uma viagem ao fundo do mar sem nos molharmos e aprofundámos os nossos conhecimentos sobre alguns assuntos que temos vindo a estudar.

Gostámos muito!


Autocolantes do Projecto

Para divulgar o projecto junto das nossas famílias e, simultaneamente, angariar fundos para a nossa viagem à Estação do litoral da Aguda, resolvemos criar um autocolante.

Primeiro a professora pediu que desenhássemos as nossas personagens preferidas da Menina do Mar, ou então os episódios da história que achássemos mais interessantes.
Depois pintámos os nossos desenhos de cores vivas e contornámos a caneta de feltro para resultar melhor ao digitalizar.
Seguidamente deveríamos fazer a votação dos mais bonitos para imprimir. Aí é que começaram as dificuldades porque os desenhos ficaram todos muito bonitos.
Então resolvemos imprimir todos e fazer uma colecção.
Em vez de fazer autocolantes, plastificámos com uma máquina e colocámos um pequeno íman. Ficou um bonito magnete para enfeitar o frigorífico ou outra superfície de metal.
Foi um êxito! Todos queriam mais do que um porque eles ficavam mais bonitos em conjunto por serem diferentes uns dos outros.
Assim divulgámos o nosso projecto, criando belas obras de arte.
Ah! E a nossa viagem vai ficar muito mais barata!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Diversidade de peixes

Observação das estruturas externas dos peixes
No dia 10 de Março, tal como tínhamos combinado, fomos observar os peixes que a mãe da Juliana nos ofereceu.A turma dividiu-se em 5 grupos e a cada grupo foi entregue um peixe diferente e uma ficha de registo das observações.
Os peixes eram: azevia, faneca, sardinha, carapau e pescada. A ficha foi adaptada a partir dos materiais do projecto que estão no site da Ciência Viva.
Cada grupo observou cuidadosamente o seu peixe, a olho nu, com a lupa e com o microscópio (20x e 60x), tentando responder à ficha que serviu de guia de trabalho.


No final, cada um comunicou à turma os seus resultados.
Foi muito interessante porque, apesar de conhecermos estes peixes todos muito bem – já os comemos e vimos na banca do mercado muitas vezes – nunca tínhamos reparado nas suas características e diferenças.
Também não tínhamos reparados como são bonitas as suas escamas e cores.
Quando os voltámos a desenhar tinham muitas parecenças com o real. Já não eram como os do trabalho da aula anterior.


Gostámos muito desta actividade!

Os amigos da Menina do Mar


Depois de reflectirmos sobre o real e o imaginário na história da Menina do Mar, a professora pediu para falarmos do que conhecíamos acerca dos três amigos: o peixe, o polvo e o caranguejo.
Então, fomos desenhá-los à nossa maneira, sem copiar pelos colegas nem por imagens desses animais.Os desenhos ficaram muito bonitos: havia peixes, polvos e caranguejos muito diferentes uns dos outros.
Separámos os retratos dos três animais e começámos por observar as representações dos peixes.
Perante os trabalhos afixados no quadro, conversámos sobre as suas características físicas e discutimos a sua parecença com a realidade.
Nem todos eram da mesma opinião, por isso combinámos trazer para a aula peixes de diferentes espécies para os observar com todo o cuidado.
É isso que vamos fazer na próxima aula de projecto.

terça-feira, 2 de março de 2010

O real e o imaginário

Continuando a ler mais um capítulo da nossa história, chegamos ao momento em que o Menino apresenta à Menina do Mar as “coisas” da Terra.

Gostámos muito desta parte porque nunca tínhamos pensado que as que o Menino escolheu podiam ser tão especiais:

A rosa perfumada, o fogo e o vinho.

Por causa da rosa, falámos da saudade que é a tristeza que fica em nós quando as coisas de que gostamos se vão embora”. Conversámos sobre os nossos sentimentos e as emoções que temos passado este ano lectivo.

Quanto ao fogo, apreciámos a sua beleza e importância para todos nós. Mas também reflectimos sobre os perigos de acender um fósforo na realidade porque "o fogo é alegre mas queima".

A propósito do vinho, debatemos se era ou não próprio para as crianças. O menino, embora o tenha dado a provar à Menina do Mar, disse: “mas o seu sabor não o sei contar”.

Para que não restassem dúvidas sobre o que deve acontecer na realidade, visitámos o blogue dos nossos colegas do 4º N. Eles fizeram vinho na sala de aula e convidaram a Dr.ª Susana Montenegro, nutricionista do Centro de Saúde, para lhes falar sobre o consumo de bebidas alcoólicas.

Aprendemos muitas coisas interessantes nesta aula como por exemplo que o vinho é importante para a cultura e a economia de um pais, mas que só os adultos saudáveis o podem beber e sempre com moderação.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Retratos

Depois de construirmos os cenários onde decorre a história da Menina do Mar, escutámos mais um capítulo do conto.
De olhos fechados, deixámos que as palavras fossem criando imagens na nossa imaginação.
No final deste trecho tínhamos conhecido a personagem principal.

Ao contrario dos cenários, ecossistema da praia rochosa que existe na realidade, a Menina do Mar pertence ao mundo da fantasia, por isso seria impossível encontrar imagens reais dela.
Então, a professora pediu que a desenhássemos tal como a tínhamos imaginado.
Ficaram assim os nossos retratos da Menina do Mar


video

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Luto


Hoje perdemos a professora Manuela.
A tristeza invadiu os nossos corações e não há palavras que traduzam aquilo que sentimos neste momento.
O que aprendemos com ela vai acompanhar-nos o resto da vida.
Obrigada professora!
Até sempre querida amiga.